Introdução

A prossecução dos objectivos estatutários da Fundação Joaquim Chissano exige o envolvimento de entidades individuais ou institucionais, públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, tal como indicado no seu Plano estratégico. Estas entidades associam-se a Fundação da várias formas, com a finalidade comum de capacitá-la e apoiá-la no processo de alcance dos seus objectivos. Estas entidades constituem os “Parceiros da Fundação Joaquim Chissano”.

Os Parceiros identificam-se com os objectivos da Fundação; e contribuem com o seu saber e experiência para a concepção, implementação exitosa dos projectos da Fundação e sua avaliação; mobilizam recursos necessários às actividades da organização, sejam eles humanos, materiais, financeiros, tecnológicos e outros. Os Parceiros da Fundação estão motivados para serem actores activos no processo de construção de uma sociedade mais justa e equitativa, tendo a Fundação Joaquim Chissano como seu veículo de participação.

Por todas estas razões, a Fundação deverá adoptar uma estratégia adequada de recrutamento, uso e motivação de Parceiros, de modo que eles se sintam úteis e a Fundação atinja os seus objectivos.

1. Conceito

Parceiros da Fundação Joaquim Chissano são entidades singulares ou colectivas, públicas ou privadas, nacionais ou estrangeiras, que, numa base voluntária, se associam à Fundação, contribuindo para o alcance dos seus objectivos. De acordo com o seu modo de relacionamento com a Fundação, os Parceiros designam-se por Investidores e Voluntários

1.1 Investidores

São Parceiros que contribuem com meios financeiros, materiais (tais como bens móveis e imóveis, equipamentos, produtos e bens de socorro a vítimas de calamidades, entre outros); podem ainda contribuir com meios técnicos e tecnológicos e serviços para a Fundação. A contribuição dos INVESTIDORES destina-se a capacitar a Fundação a realizar a sua missão.

Permanente – São permanentes os investidores que se comprometem a colaborar com a Fundação, sem um horizonte temporal para o fim da sua colaboração. Podem escolher apoiar projectos, programas, prestar serviços, doar um bem cujos rendimentos sejam para a Fundação, etc.

Ocasionais – São Parceiros que optam por apoiar uma iniciativa da Fundação numa base pontual, sem assumir compromissos quanto a futuros apoios. Os Parceiros Ocasionais podem apoiar um projecto específico, fazer uma doação ou prestar um serviço.

Reconhecimento dos Investidores

De acordo com o valor anual ou acumulado que os Investidores prestam à Fundação, ser-lhes-ão atribuídos títulos correspondentes. Para além dos títulos, os Investidores poderão igualmente ser mencionados em materiais promocionais da Fundação, tais como revista, brochura, página na internet, etc., em função do valor da sua contribuição.

Investidores receberão informação regular sobre as actividades da Fundação, e anualmente visitarão alguns projectos e participarão num fórum anual a eles destinado – Fórum dos Investidores da Fundação.

2.2 Voluntários

Os voluntários são parceiros que de livre vontade e de forma desinteressada, isto é, sem remuneração, contribuem através da sua participação pessoal directa, nas actividades da Fundação. Essa participação poderá assumir as seguintes formas:

Integração nos órgãos directivos da Fundação;

    . Apresentação de ideias e propostas de acções a serem realizadas pela organização, no âmbito da sua missão;
    . Participação na génese ou concepção de projectos, sua implementação, acompanhamento e avaliação;
    . Representação local dos interesses da Fundação;
    . Apoio às actividades das estruturas executivas da Fundação.

Permanentes – São Voluntários que assumem o compromisso de apoiar as actividades da Fundação numa base permanente, em modalidade a acordar com a Direcção Executiva ou sua representação.

Podem, por exemplo, optar por serem voluntários para programas ou projectos temáticos, tais como, saúde, educação, juventude, assuntos culturais, assuntos tecnológicos, etc. neste quadro, eles serão convidados para debates sobre os assuntos do seu interesse e sobre os quais poderão constituir-se em foros especializados para aconselhamento da Fundação, concepção, acompanhamento e avaliação de projectos e programas.

Ocasionais – São Voluntários que apoiam uma actividade corrente ou futura da Fundação, sem assumir compromisso de apoiar outra. Nesta modalidade, o Voluntário participa num projecto concreto, findo o qual poderá não se envolver noutra iniciativa da organização.

Reconhecimento de Voluntários

Tendo em conta a regularidade e o valor estimado da sua contribuição às actividades da Fundação, aos Voluntários serão atribuídos títulos e prémios, de acordo com critérios a definir pelo Conselho de Administração.

Gestão dos Parceiros

A Fundação irá estabelecer um sistema de gestão dos seus parceiros, de modo a manter viva a sua motivação para se associarem e apoiarem as suas actividades. Um sistema efectivo de gestão contribuirá também para angariação de novos parceiros. O sistema a estabelecer deverá ter em conta, nomeadamente, os seguintes aspectos:

    . Registo e actualização regular dos parceiros;
    . Acompanhamento e avaliação do seu desempenho;
    . Reconhecimento e premiação;
    . Instituição de diplomas, medalhas, troféus, galhardetes e outros símbolos físicos de reconhecimento de mérito.

Dado que a maioria dos parceiros da Fundação será constituída por Voluntários, actuando a vários níveis, torna-se necessária a adopção de um Estatuto do Voluntário da Fundação Joaquim Chissano, que estabelecerá o modo da sua vinculação à Fundação, regras de conduta do Voluntário, direitos e obrigações mútuas, entre outros aspectos. O Estatuto facilitará e uniformizará as formas de enquadramento dos Voluntários e ajudará a prevenir expectativas infundadas., de parte a parte.

Promovendo o Desenvolvimento Económico Social e Cultural de Moçambique

Joaquim Chissano

Endereço Físico

  Av. do Zimbabwe, 954. Maputo, Moçambique. Caixa Postal: 63

  (+258) 21 484000/21 489000. Fax: (+258) 21 484001

Ajude o Mundo

A Fundação Joaquim Chissano agradece a todas as doações na Promoção do Desenvolvimento Económico, Social e Cultural das comunidades moçambicanas.

Doação

" Nós Queremos uma Escola e Temos Esperança "