Questões Tranversais

As questões transversais são definidas como sendo os temas que interessam a todos os programas sectoriais devendo, por isso, ser integrados no desenho dos projectos, independentemente da sua natureza sectorial. No Programa são indicadas as seguintes: i) Género, ii) Capacitação Empresarial e Empreendedorismo, iii) HIV/SIDA, iv) Meio Ambiente e v) Ciência e Tecnologia. Apesar de estas questões serem tratadas na componente Desenvolvimento Económico e Social, através de acções específicas, todas elas devem ser incorporadas nas actividades e nos projectos de todas as componentes, conforme referido.

I) Género. O sucesso da luta contra a pobreza e a sua sustentabilidade, bem como o desenvolvimento global de Moçambique, exigem o reforço constante da participação política, económica, cultural e social da mulher. Na área do Género, a Fundação tem como objectivo promover a igualdade dos direitos de cidadania e de oportunidades entre homens e mulheres, através de: (i) promoção da educação da rapariga e da mulher, (ii) promoção do seu empoderamento económico, (iii) promoção da melhoria na assistência sanitária e social da rapariga e da mulher, (iv) promoção de uma maior participação política da rapariga e da mulher. A criação, muito recentemente, do Conselho Nacional para o Avanço da Mulher irá trazer sinergias necessárias para a promoção da mulher, permitindo, assim, que ela participe activamente no desenvolvimento do país e mais especificamente no combate à pobreza.

II) Capacitação Empresarial e Empreendedorismo. A participação activa dos cidadãos no desenvolvimento nacional, através das suas empresas e outras iniciativas económicas, é uma necessidade e oportunidade criadas pelo ambiente e políticas económicas correntes. Ao longo do tempo, essa participação levará ao desenvolvimento e fortalecimento da classe média nacional, que irá assegurar a sustentabilidade do progresso do país, condição para a paz. Neste contexto, a Fundação considera ser necessária a criação de condições de apoio aos cidadãos interessados a adquirir competências de gestão empresarial, a desenvolver espírito de iniciativa, a ter acesso a tecnologias, financiamentos e aos mercados.

III) HIV/SIDA. Os dados existentes mostram uma tendência crescente do número de órfãos e de famílias tendo uma criança, velho ou mulher, como chefe da família. O número de crianças a viver em famílias substitutas, que também são pobres, está igualmente a crescer. A pandemia do HIV/SIDA constitui um sério obstáculo aos esforços para o desenvolvimento nacional e é por esta razão e outras que, a Fundação propõe-se a participar no seu combate, através de: (i) redução do impacto do HIV/SIDA nos indivíduos, nas famílias e nas comunidades; (ii) prolongar e melhorar a qualidade de vida dos infectados e doentes e (iii) promover um futuro seguro aos órfãos vítimas do SIDA e outros dependentes.

IV) Questões Ambientais. A pobreza estimula a degradação ambiental, do mesmo modo que o ambiente degradado contribui para agudizar o nível de empobrecimento das comunidades. No âmbito da promoção do desenvolvimento sustentável e integrado, da paz e da estabilidade, a Fundação irá estimular a utilização sustentável dos recursos naturais, em particular da água, do solo, da fauna e da flora. A componente do impacto ambiental estará sempre presente nos projectos a serem implementados com os parceiros da Fundação, principalmente na construção de infra-estruturas e na gestão dos recursos naturais.

V) Ciência e Tecnologia. A Ciência e a Tecnologia têm um papel vital a jogar no desenvolvimento nacional. A divulgação de ambas em Moçambique é bastante fraca, sobretudo ao nível local. A experiência de vários países mostra que a utilização local de tecnologias simples e acessíveis pode-se traduzir em grandes níveis de produção e de produtividade, assim contribuindo para a elevação dos níveis de vida das populações. A inovação permite melhorar tecnologias existentes, muitas vezes, levando a uma maior poupança de recursos ou de incremento da eficiência.

Neste quadro, a Fundação irá promover a divulgação científica e tecnológica, sobretudo ao nível local, encorajar a utilização de tecnologias apropriadas e a inovação, através de apoio ao empreendedorismo em todas as vertentes do seu programa.


Promovendo o Desenvolvimento Económico Social e Cultural de Moçambique

Joaquim Chissano

Endereço Físico

  Av. do Zimbabwe, 954. Maputo, Moçambique. Caixa Postal: 63

  (+258) 21 484000/21 489000. Fax: (+258) 21 484001

Ajude o Mundo

A Fundação Joaquim Chissano agradece a todos pelo apoio na promoção da Paz, no Desenvolvimento Social e Cultural de Moçambique.

Doação

" Nós Queremos uma Escola e Temos Esperança "